Descubra quais são os fatores que devem ser levados em consideração na hora de decidir se o seu negócio será vendido ou não.

hora-de-vender-negocio-noticiasFoto: Shutterstock

Provavelmente, você já ouviu alguém relacionar a venda de uma empresa ao término de um casamento. Guardadas as devidas proporções, é fato que as duas envolvem algo que pode ser bastante difícil de se tomar: a decisão.

‘A venda de uma empresa é uma decisão estratégica que envolve propósito e valor’, diz o vice-presidente do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo), José Roberto Securato. O especialista em gestão financeira Artur Lopes destaca que as vantagens e desvantagens. ‘Com a venda, se realiza o investimento e minimizam-se riscos. Por outro lado, como desvantagem, o empreendedor perde uma fonte geradora de riqueza.’

Antes de decidir se é a hora correta de vender a empresa, confira a seguir 4 fatores que devem ser levados em consideração:

1. A proposta é atraente
‘Independentemente da motivação do acionista vendedor, a negociação só se concretizará quando realmente há o interesse e a proposta de valor faça sentido para o vendedor’, explica Securato.

Lopes alerta que vender um negócio lucrativo e que não exige investimentos contínuos pode não ser uma boa escolha. ‘O principal fator para a decisão deve ser o interesse dos acionistas e a sua possibilidade de expandir e manter a empresa.’

2. Não há sucessão
Os cenários atual e futuro precisam ser considerados. ‘Se a empresa não tem plano de sucessão e o acionista atual está perdendo o interesse ou as condições de continuar à frente do negócio, vender é uma alternativa’, ressalta o vice- presidente do Ibevar.

‘Além de fatores econômicos e mercadológicos, muitas empresas são transacionadas por aspectos absolutamente pessoais como a falta de sucessão’, acrescenta Lopes.

3. A alta concorrência
Segundo Lopes, a competitividade é algo que deve ser avaliado como um elemento decisivo: ‘nos casos de alta concentração de mercado, pode ser melhor vender do que sucumbir’, explica.

4. Motivos pessoais
A trajetória de um empreendedor é recheada de desafios diários. Um deles é equilibrar a vida profissional e pessoal. Vender a companha implica em um novo padrão de vida. ‘Ele terá que se adaptar à nova rotina e aprender a administrar dois ativos que eram muito escassos antes: tempo e dinheiro’, diz Securato.

Decidi vender. Quando vale?
Avaliar quanto vale o negócio também é uma tarefa que precisa ser feita cuidadosamente. Lopes explica que há vários métodos para se chegar ao valor de uma empresa, como a avaliação dos seus ativos tangíveis, que envolvem imóveis, máquinas, veículos e equipamentos, e intangíveis, como marca e fundo de comércio, mas existe um método mais comum. ‘O que se utiliza de maneira cotidiana é o fluxo de caixa descontado, em que, de maneira sintética, a geração de riqueza futura é trazida ao momento presente para a formulação do preço.’

O vice-presidente do Ibevar lembra ainda que, para que a negociação seja a melhor possível, além do preço, é importante estar atento a outros pontos. ‘Erradamente, grande parte das pessoas foca muito no valor da transação, deixando o preparo para a venda e os contratos, que são etapas até mais relevantes que o preço, em segundo plano’, conclui.

Fonte: Santander Negócios e Empresas – https://www.santandernegocioseempresas.com.br/detalhe-noticia/sera-que-e-a-hora-de-vender-o-seu-negocio.html#